Passagem Aérea

Pesquisando na internet encontrei o blog Viagem em Família para Orlando e o post sobre voos é bem esclarecedor. Abaixo transcrevi algumas partes dele.

Voo direto ou com escala?

1) Escala ou conexão no território brasileiro – Como todos sabem existem diversos voos diários para os Estados Unidos originados das principais cidades do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife entre outras). Em muitos casos é necessário que o passageiro saia de sua cidade e tenha que se deslocar num primeiro voo para uma destas cidades para poder iniciar a viagem. Infelizmente este é um ‘mal necessário’ devido a distribuição das rotas aéreas.

2) Conexão na América Latina – Existem algumas companhias aéreas que, normalmente, oferecem a um preço mais baixo voos para os EUA com conexão em suas capitais. Como exemplos destas companhias temos a Copa Airlines que faz conexões na cidade do Panamá, no Panamá, e a Aeromexico que faz conexões na cidade do México. Na minha opinião, apesar de algumas vezes estas companhias oferecerem um preço mais atrativo, as conexões realizadas são normalmente muito longas (algumas vezes chegando a quase 8 horas !), além disto a viagem também fica mais longa, pois, por exemplo, no caso da conexão no México, você primeiro viaja primeiramente quase 9 horas para a cidade do México (que fica próxima a costa Oeste dos EUA) e depois retorna por quase mais 6 horas para Orlando. Só de voo a viagem leva praticamente 15 horas sem contar o tempo da conexão.

3) Conexão nos EUA – Atualmente apenas a TAM possue uma rota áerea com um voo direto de São Paulo para Orlando (era uma rota que pertencia a antiga Transbrasil) . As demais companhias brasileiras não possuem rota direta sendo necessário nestes casos que seja feita uma conexão em alguma das cidades ‘base’ destas companhias, como Miami, Dallas, Dulles, Atlanta, Nova York e Chicago. Neste caso o melhor é tentar optar por alguma cidade relativamente próxima a Orlando, como Miami ou Atlanta, para também não passar muito tempo no avião.
Resumindo – Viajar com crianças não é fácil, tem sempre muita euforia que também pode acabar se tornando uma pequena frustação devido a demora em chegar (que nunca ouviu das crianças a famosa frase “Papai, falta muito ?”). Para evitar isto, na minha opinião, o melhor é tentar optar ou pelo voo direto ou por um voo com uma conexão em uma cidade próxima a Orlando.

Dicas que independem da escolha do voo

1) Quanto antes vocês comprarem as passagens, normalmente mais baratas serão as mesmas. Opte se possível pela compra através da Internet – diretamente com a companhia aérea ou através de um site especializado – que os preços são mais em conta.

2) Marque com antecedência os lugares no voo. Tente, sempre que possível manter a sua família junta. Uma boa coisa é optar pelos assentos internos (ou os do ‘meio’), pois pode ficar melhor para as crianças dormirem – adultos nas pontas (corredores) e as crianças no meio. Outra boa opção é tentar optar pelos primeiros lugares próximos as divisórias do avião, que normalmente são mais espaçosos;

3) Tentem chegar ao aeroporto com uma antecedência superior a 2,5 horas ao voo para poder fazer o check-in com calma e também tente não perder a sua hora de embarque;

4) Caso você opte por voo noturno tentem evitar que as crianças durmam antes do voo, inventando sempre que possível atividades para cansá-las ao longo do dia e possam dormir traquilamente durante o voo;

5) Independente do voo ser diurno ou noturno, leve sempre coisas que possam ajudar a distrair as crianças durante o voo, como revistas e lápis para desenhar, bicho de pelúcia ou mesmo video games portáteis (para os maiores);

6) Leve caneta azul ou preta para preencher com calma os formulários que deverão ser entregues a imigraçao e alfandega norte-americana. Os formulários serão distribuídos pelas companhias aéreas no momento do check-in ou ainda durante o voo. Nas revistas de bordo vocês encontrarão informações de como preencher estes formulários, porém em caso de dúvida no preenchimento deles peça ajuda a algum comissário de bordo.

Após estas dicas, vamos falar sobre o nosso caso: Os nossos dois subgrupos irão se encontrar nos EUA. Como moramos em estados extermos, um no norte (Pará) e outro no sudeste (Rio de Janeiro), nossas opções de voos são completamente diferentes.

Para nós daqui de cima, as opções são bem menores. Optamos pelo voo da Tam que sai de Belém, faz escala em Manaus e segue direto pra Miami. Nossa opção por ele foi por ser mais curto. Estaremos com duas crianças (6 e 11 anos) e quanto menor for o percurso, melhor. Nossas outras opções seriam para ir pro Rio ou São Paulo o que tornaria o voo muito longo. O único porém deste voo é que não é noturno, mas acho que conseguiremos controlar a ansiedade das crianças.

O pessoal do Rio tem bem mais opções do que nós, mas acho que estão mais tendenciosos aos voos com escala na América Latina.

See you!

Anúncios

One thought on “Passagem Aérea

  1. Pior que não, Pat. Nossa idéia é ir direto via Atlanta ou Miami.
    Já tive experiências muito ruins com vôos na América Latina (Avianca) e traumatizei.
    Acredito que ir pela América Latina é um barato que sai caro, pois além do maior tempo devido as longas escalas, têm-se um maior risco de extravio de bagagens.
    Outra coisa a se considerar é o alto número de casos de violação e extravio de malas em vôos que passam por Guarulhos.
    http://epocasaopaulo.globo.com/vida-urbana/cumbica-20-malas-por-dia-tem-objetos-furtados-no-aeroporto/
    Muito medo disso, viu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s